João Vital em grande destaque no encerramento!

  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Último dia de europeus com 5 portugueses nas eliminatórias.

Nos 400 estilos tivemos 3 nadadores portugueses a competir na mesma serie, com super destaque para João Vital que destruiu o seu recorde pessoal com o tempo de 4.15.87. Esta marca permitiu ao internacional luso o 4º lugar da geral, garantindo presença numa das pistas centrais da final ficando apenas a 3 centésimos de segundo do recorde de Portugal. Recorde-se que esse tempo coincide com os mínimos A para Tóquio 2020.

Ainda nesta prova tivemos Gabriel Lopes com novo recorde pessoal ao terminar em 19º lugar com o tempo de 4.21.57. Tomás Veloso também conseguiu um novo recorde pessoal ao conseguir ser 22º com o tempo de 4.22.57.

Nos 400 livres femininos, Diana Durães a sair recompensada pela magnifica época que tinha feito até estes campeonatos, ao conseguir assegurar presença na final com o 7º lugar e a marca de 4.12.16 embora a acima do seu recorde nacional.

Tamila Holub também participou nesta prova terminando em 4.19.70 conseguindo o 19º lugar.

Durante a sessão de finais estava a cargo o encerramento da participação lusa no plano masculino por João Vital e no feminino por Diana Durães.

O nadador português sentiu algum cansaço na final terminando no 8º posto com o tempo de 4.19.79. Numa prova que foi ganha pela terceira vez pelo húngaro Verrazto em 4.10.65, ficou a sensação que tanto hoje, como daqui a 2 anos, por intermédio de João Vital ou Alexis Santos, ser possível lutar por uma medalha já que o pódio fechou em 4.14.26, muito perto dos recordes pessoais destes 2 nadadores. Os 400 estilos ficam assim a justificar investimento luso no futuro sendo claramente uma das provas onde podem ter mais destaque internacional.

 

Diana Durães terminou em 7º lugar a final dos 400 livres com o tempo de 4.12.41, ligeiramente acima do que havia feito nas eliminatórias, numa prova que foi novamente ganha pela italiana Quadarella em 4.03.35.

Nas restantes finais do dia, Sjoestroem venceu os 50 mariposa feminino, sem brilho, longe do seu recorde mundial, com 25.16. Ainda assim, a atleta sueca levou 4 ouros individuais para casa, mais do que qualquer outra atleta.

Nos 50 livres, Ben Proud prometia recorde do mundo, mas não foi além de 21.34, embora tenha chegado para a vitória. O nadador britânico ficou a desejar não ter desacelerado ontem na chegada quando fez a fantástica marca de 21.11. Quem sabe não teria caído o recorde do mundo.

Efimova conquistou o triplete de bruços ao vencer com facilidade a prova mais curta, os 50, com 29.81.

O italiano Piero Codia surpreendeu todos os adversários ao conquistar o ouro diretamente da pista 8 com novo recorde dos campeonatos de 50.64, nos 100 mariposa.

E o dia continuou a correr de feição à Itália que logo a seguir conquistou o ouro nos 200 costas femininos por intermédio de Panziera com o tempo de 2.06.18 num novo recorde de campeonatos.

A estafeta masculina do Reino Unido confirmou favoritismo nos 4×100 estilos (onde são vice-campeões do mundo) ao vencer num novo recorde de campeonatos com o tempo de 3.30.44. Fica a sensação de que se conseguirem voltar a ter um nadador de bom nível no percurso de costas (como tiveram Liam Tancok), podem mesmo chegar ao recorde do mundo, pertença dos estados unidos.

A última prova deste europeu permitiu desempatar o medalheiro. O ouro foi para a estafeta feminina russa dos 4×100 estilos, com um novo recorde dos campeonatos em 3.54.22. Assim o medalheiro foi vencido pela Rússia num campeonato europeu muito disputado com a Grã-Bretanha.

Participação muito positiva da seleção nacional que nunca tinha conquistado tantas finais como neste edição (5), obtendo ainda mais 12 posições de meia-final com direito a vários recordes nacionais, o que demonstra que os nadadores lusos estão num bom caminho rumo a Tóquio 2020.

Comentários