Diogo Carvalho ficou e vin…cou!

  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Com as principais referências a representarem a Seleção Nacional no Campeonato do Mundo, Diogo Carvalho, que por opção própria abdicou da sua presença em Budapeste, ficou cá e vincou a sua posição no Open de Portugal como um dos melhores nadadores da atualidade.

A forma como se exibiu nos 200 estilos, baixando a fasquia dos dois minutos (1.59,86) – próximo do seu recorde pessoal de 1.59,39 (Mundiais de Barcelona em 2013) –, que lhe valeram o prémio de melhor nadador com 860 pontos –, provam que o atleta do Galitos, de 29 anos, está aí para continuar a brigar por altos voos, atirando para trás das costas o ano desportivo conturbado que ditaram o “divórcio” com o treinador Vítor Ferreira e o regresso a Aveiro sob as ordens de Élio Terrível.

Com este desempenho no Open de Portugal, Diogo Carvalho garantiu os mínimos para integrar o Projeto COP Tóquio-2020.

No plano feminino da competição que se realizou no Jamor, Ana Catarina Monteiro, depois de ter sido submetida a uma intervenção cirúrgica ao ombro no início da época, conseguiu ser a nadadora portuguesa com melhor performance ao garantir a melhor marca do ano em 2.11,91, correspondendo a 787 pontos.

Caiu apenas um recorde absoluto a cargo da estafeta do Sport Algés e Dafundo nos 4×200 livres com Madalena Azevedo, Raquel Pereira, Carolina Marcelino e Rita Frischknecht (8.26,91), tendo os restantes três de juvenis B por intermédio de Tiago Machado (Sporting de Aveiro) nos 50 livres (24,61), Camila Rebelo (Louzan Natação) nos 200 costas (2.20,53) e do Sporting através da estafeta de 4×100 estilos (Diogo Valente, Martim Malfeito, Ruy Domingos e Vicente Gomes) com 4.08,58.

Créditos da foto: Facebook de LF Nunes

Comentários